Com castelo mais famoso do mundo, Rota Romântica alemã é ótimo destino para casais

Casas medievais coloridas e adornadas com flores, igrejas góticas, lojinhas cheias de produtos artesanais e castelos que inspiraram até Walt Disney. Isso revela um pouco do que um casal pode encontrar ao percorrer os cerca de 400 km da rota romântica alemã.

Também chamada de estrada romântica, o caminho na Baviera conta com dezenas de cidades e vilas medievais bem conservadas.

Você e seu par podem começar por Wurzburgo, o município do vinho alemão e da bela ponte Mainbrücke, e descer rumo a Füssen, cidade próxima a um dos principais cartões-postais europeus, o castelo de Neuschwanstein (e o “pai” dele, o castelo de Hohenschwangau).

Castelo de Hohenschwangau,
Castelo de Hohenschwangau, construído pelo pai do rei Ludwig 2º (Dani Braga)

Neuschwanstein, construído durante o reinado de Ludwig 2º, foi aberto ao público em 1886, logo após a sua morte, e inspirou Walt Disney a fazer o famoso castelo da Cinderella.

No local, é possível alugar áudio-guias para aprender um pouco mais sobre a história misteriosa do rei, além de comprar lembranças do local, como louças e quebra-cabeças (adquira um, certamente vai virar um quadro na sua casa!). Vale a pena visitar os dois castelos, cujas histórias são complementares.

Descendo rumo ao sul, encontramos Rothenburg ob der Tauber, rodeada por uma muralha medieval e repleta de casinhas coloridas. Poucos lugares no mundo conseguem ser tão bucólicos e lúdicos. Com boa oferta de hospedagens, a cidade pede mais do que uma passada rápida.

Rothenburg ob der Tauber, na Alemanha, é a cidade mais fofa que já visitei (Shutterstock)

Rothenburg é o endereço do Museu do Natal, aberto o ano todo, e das tradicionais schneeball, bolas doces e confeitadas e que têm um quê de bolinho de chuva.

Vale visitar também as cidades de Dinkelsbül e Ausburgo –essa última bem maior que as demais e com opções de comércio e hospedagem variadas. A infraestrutura, porém, tira o aspecto de contos de fada.

COMO PERCORRER

Em março de 2018, fiz o caminho inverso. Saí de Munique (mais ao sul e próxima a Füssen) rumo a Berlim de carro. Ao contrário de que muitos pensam, a rota romântica não é apenas uma estrada que liga uma cidade a outra. São várias vias que compõem o roteiro (uma mais charmosa que a outra).

Não fique preocupado se por acaso você se perder, há plaquinhas turísticas espalhadas pelas estradas: “Romantische Straße”. Basta seguir para a direção escolhida, rumo ao norte ou ao sul. GPS é bem-vindo.

Ao fim do terceiro dia viajando, cheguei a Wurzburgo. Terminei a rota com uma tradição: um brinde com vinho local à beira do rio Main, durante o pôr do Sol. Na ponte Mainbrücke, é possível conseguir taças de vinho rosé, tinto e branco a bons preços. Duas garantias: é romântico e divertido.

vinho sobre a ponte Mainbrucke
Terminar o roteiro pela rota romântica com taças de vinho e vista linda não é nada ruim (Dani Braga)

É possível ainda percorrer o trecho de trem (informe-se sobre os trajetos e baldeações no site da DB), de ônibus, em tours pagos, ou até de bicicleta.

MELHOR ÉPOCA PARA CONHECER

É fácil responder qual é a melhor época do ano para fazer o roteiro:  qualquer uma!

Os meses mais gelados (nov. – abr.), particularmente, são interessantes por causa dos alpes nevados e do clima bem diferente do que o brasileiro está acostumado. Prepare-se para temperaturas abaixo de 0ºC no inverno.

Os cenários que se apresentam, porém, não poderiam ser mais bonitos. Campos e topos de casas e castelos branquinhos ganham o contraste dos restaurantes e lojinhas aconchegantes e com grande oferta de bebidas quentes e guloseimas locais. Nem precisa dizer que ficar agarradinho é a melhor opção.

Fränkische sauerbraten, carne assada com molho e bolinhos feitos com batatas (Foto: Pedro Carrilho/Folhapress)

A primavera e o verão reservam aos turistas comércio aberto até mais tarde, mais gente nas ruas e vegetação colorida. A troca do chocolate quente pela cerveja alemã não poderia ser mais justa.