Ela é #Haddad13 e ele, #Bolsonaro17, e resolveram colocar política no ensaio pré-casamento

A professora de história Ana Carolyne é #Haddad13, o servidor público Emannuel Ferreira, #Bolsonaro17. Noivos, eles pensam que a divergência política não é motivo para desamor, tanto que estão com casamento marcado.

Como parte dos preparativos, o casal Bolsoddad de Maceió (AL) resolveu fazer um ensaio fotográfico conhecido como pré-wedding. Uma vez que o tema político não saía da boca dos noivos, a fotógrafa Yara, da HY Fotografias, propôs um desafio: que tal levar o assunto para as fotos? O casal topou na hora.

Ana, 23, vestiu roupas que estampavam o rosto do ex-presidente Lula e a inscrição #EleNão, enquanto Emannuel, 26, usou uma camiseta do candidato do PSL.

As defesas dos candidatos, porém, não se limitaram aos trajes. Até a temática do caixa 2, revelada em reportagem da Folha sobre empresas que bancam campanha contra o PT no WhatsApp, foi alvo do ensaio –curiosamente, a ideia foi do noivo bolsonarista (ou “bolsonete, como Ana costuma se referir a ele e aos amigos eleitores do PSL).

Em uma das fotos, Emannuel segura uma caixa e um celular, enquanto a noiva olha com reprovação. Ana conta que, assim que viu o alerta da notícia no celular, fez questão de enviá-la ao noivo.

Ana declara-se petista desde a infância, diz que ama política e afirma que o “gosto divergente não é motivo para findar relacionamentos”. Emannuel torce o nariz para as preferências da amada, mas é categórico nas redes sociais: “o que Deus uniu o homem não separa”.

Para enfatizar a tese de que “o amor supera tudo”, há uma foto inimaginável por qualquer eleitor: Ana, trajada de vermelho, aceita que Emannuel cole um adesivo de Bolsonaro na sua camiseta. Como chumbo trocado não dói, Emannuel leva Haddad nas costas.

Para Ana Carolyne e Emannuel, o amor supera as divergências políticas
Para Ana Carolyne e Emannuel, o casal Bolsoddad, o amor supera as divergências políticas

O amor é forte, mas a paciência…

No 1º turno, o casal foi junto votar, mas uma discussão acalorada na volta custou uma semana de caras viradas. “A briga foi feia, voltamos a nos falar só na sexta-feira seguinte, na semana do ensaio”, revela Ana. Agora, já está tudo bem, pois, para ela, “o respeito é sua principal ideologia”.

Ana e Emannuel se casarão em 19 de janeiro de 2019, no entanto, a data preferida dela era dia 13. Embora seja dia de união, uma divisão marcante já é esperada: do lado dela no altar, a família petista, do dele, a família de empresários bolsonaristas.

Até lá, um dos candidatos será o novo presidente e a frase escrita pelos fotógrafos a respeito do ensaio deve ser o mantra do casal: “Em um país onde tudo é guerra e briga por causas fúteis, o amor nos mostra mais um vez que ele tudo suporta”.

Felicidades (e calma) aos noivos!