Fotos de noivos em igreja parcialmente submersa em PE fazem sucesso na internet

Por Dani Braga

Imagine você e seu par em um barquinho sob a luz do amanhecer em um cenário paradisíaco. Acrescente ruínas de uma igreja parcialmente submersa e alguém para registrar todos os momentos.

Parece filme, não é? Mas é o ensaio pré-casamento de Nayara e Gustavo, de Toritama, Pernambuco. Eles foram fotografados por Priscila Fontinele, uma profissional de Caruaru que sempre sonhou em fazer um trabalho na cidade do sertão pernambucano engolida em 1989 para a construção de uma represa.

O cenário arrebatador é o entorno da antiga igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Petrolândia. Em 2013, conforme relato publicado na Folha, só o telhado do templo ficava à mostra. Agora é possível vê-lo quase inteiro devido à baixa do rio.

“Eu já tinha um desejo muito forte de realizar um ensaio lá na região da igreja. Quando o casal me procurou, querendo algo bem diferente, eu sugeri viajarmos até lá e a noiva topou na hora”.

Priscila conta que, quando o ensaio se tornou conhecido na região, até os moradores ficaram “chocados”, porque muita gente nunca tinha ido conhecer a igreja ou pensado em tirar fotos no local (a mais de 400 km de Recife).

Noivos e fotógrafa se empolgaram tanto que ampliaram o roteiro até a cidade de Piranhas, onde posaram nos cânions e trocaram o figurino. As belas imagens estão na galeria a seguir:

X

“Por causa das fotos, hoje em dia, eu recebo muitas propostas para fazer ensaios lá novamente”, diz Priscila. “Até fiz um vídeo-aula para fotógrafos explicando como foram os bastidores do ensaio, com detalhes sobre composição, luz, simetria”.

O casamento de Nayara e Gustavo já aconteceu, mas as fotografias do ensaio são a parte mais conhecida de tudo o que envolveu a união.

“É um dos meus trabalhos preferidos, porque inspira as pessoas a sonhar”, afirma a fotógrafa.

Nayara e Gustavo nas águas do rio São Francisco (Fotos: Priscila Fontinele)
Nayara e Gustavo nas águas do rio São Francisco (Fotos: Priscila Fontinele)

Não tem como negar!

Veja mais fotos que a Folha fez no local e em outras partes do rio São Francisco:

X