Noiva fica de ‘collant’ para dançar funk e critica machismo após vídeo viralizar

Por Dani Braga
Paula Marques dança para o marido na festa de casamento, no Acre (Reprodução/Facebook)
Paula Marques dança para o marido na festa de casamento, no Acre (Reprodução/Facebook)

Essa moça sorridente da foto é Paula Marques, 29, uma noiva do Acre cujo vídeo em que dança no próprio casamento recebeu uma avalanche de visualizações, curtidas, comentários e até xingamentos nas redes sociais.

Tudo porque, semanas atrás, o noivo, Antônio Neto, 27, empolgado com um vídeo viral em que uma noiva coreógrafa dança para o marido ao som de Beyoncé, teve a ideia de fazer algo semelhante no casamento deles, no último dia  12.

“Várias pessoas, quando viram o vídeo dessa noiva dançando, me marcaram [nas redes sociais]. Resolvi fazer a minha dança, com músicas que gostamos, ao nosso estilo. Nos ensaios, fiquei morrendo de vergonha, achava que não ia conseguir, mas, na hora, saiu uma dança bem legal”, diz Paula, que ensaiou com um coreógrafo.

Os noivos começaram a performance com a romântica “Thinking Out Loud”, de Ed Sheeran, e depois se esbaldaram e sensualizaram na pista ao som de Anitta e MC Sapão; assista:

“Na hora da primeira música estava tudo muito calmo. Ninguém [além do noivo, mãe e irmã] imaginava que eu fosse tirar a saia longa. (…) Todos começaram a gritar, quando acabei a dança, todos vieram me abraçar, parabenizar, todos sem exceção, tenho certeza que adoraram”, afirma Paula.

Porém, se na festa admiração foi geral, nas redes sociais, Paula e Antônio se depararam com a reprovação de muitos desconhecidos. Diziam que a dança era sensual demais para um casamento, que estavam envergonhados, que a roupa era inapropriada etc. Em uma postagem no Facebook, Paula critica a posição machista que não seria “só de homens da caverna, mas também de mulheres”, segundo ela.

“As mulheres são reflexo da sociedade em que foram criadas. A sociedade ainda é muito machista. Se fosse ele tirando a roupa seria lindo? Só porque eu tirei uma saia acham que fui vulgar. Acho que uma dança ou uma vestimenta, seja ela qual for, não vai medir meu caráter”.

Paula também atribui as críticas à “mania de alguns brasileiros de acharem bonito ou legal apenas as coisas dos gringos”. “Talvez a grama do vizinho seja mais verde”, suspeita.
Satisfeita com sua performance na pista e mais preocupada com os mergulhos que faria no Caribe, onde passa a lua de mel,  do que com as críticas, Paula conta que também leu vários comentários positivos. “[As pessoas curtiram] seja a ideia, a dança ou apenas a nossa coragem de fazer diferente, então isso já me deixa feliz o suficiente.
Paula e Antônio tiraram proveito até da chuva no dia do casamento (Pedro Fotografia/Arquivo Pessoal)
Paula e Antônio tiraram proveito até da chuva no dia do casamento (Pedro Fotografia/Arquivo Pessoal)